Toxina botulínica para além da estética.


Aplicar toxina botulínica para fins estéticos (diminuir as linhas de expressão, “levantar” o olhar, rejuvenescer etc.), não é nenhuma novidade. Mas, o Botox® - como é popularmente conhecido - tem outras tantas utilidades terapêuticas, atuando como coadjuvante em vários tratamentos, com resultados comprovados.


O bruxismo é uma das doenças em que o uso da toxina botulínica tem se mostrado muito eficaz. Para quem não sabe, bruxismo é o ato de ranger ou travar os dentes, muito comum durante o sono, mas também pode ocorrer involuntariamente no decorrer do dia. Geralmente, quem tem essa doença, reclama de mandíbulas doloridas, de desconforto nos músculos da face, de cansaço ao mastigar e, por vezes, de dor de cabeça. As causas podem ter caráter emocional (tensão, estresse, ansiedade, preocupação, raiva, frustração) ou físico, desencadeado pela má oclusão - quando os dentes das arcadas superiores e inferiores estão mal alinhados. Nesse caso, o profissional aplica a toxina botulínica no masseter (músculo da mastigação, que faz mover as mandíbulas) e, desta forma, promove o relaxamento e a diminuição da força no movimento de abrir e fechar a boca, melhorando muito a pressão entre os dentes.


Para sudorese excessiva (hiperidrose) a toxina botulínica também é muito indicada. O suor em demasia, seja nas mãos, nos pés, nas axilas e na virilha é um problema que interfere nas relações sociais do indivíduo, causando isolamento e desconforto. A conduta médica para esse problema é aplicar as injeções de toxina nas glândulas sudoríparas, a fim de limitar a produção de suor.


Pessoas com excesso de saliva e que “babam” (sialorreia) em decorrência de sequela de AVC, Alzheimer e Parkinson em estágios avançados e portadores de paralisia cerebral, podem ser muito beneficiados com aplicações do Botox® nas glândulas salivares. E se quiser obter efeitos mais satisfatórios e duradouros, o ideal é que ele seja combinado com reabilitação fonoaudiologia.


Os procedimentos com toxina botulínica possuem efeitos temporários e devem ser reavaliados a cada quatro meses, aproximadamente. Se necessário, o médico reaplica o produto nas dosagens apropriadas.


Ressalta-se que os médicos Otorrinolaringologistas estão plenamente capacitados para aplicar - com total segurança - a toxina botulínica no masseter, glândulas salivares e sudoríparas, oferecendo soluções funcionais para resgatar a qualidade de vida de seus pacientes, que muitas vezes sentem-se constrangidos no ambiente social, familiar e profissional em razão desses distúrbios.



11 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo